Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

Álcool, nem mesmo uma gota na gravidez.

0 51

Quando uma mãe bebe álcool durante a gravidez, mesmo uma dose pequena, ela pode aumentar as chances de que as próximas três gerações possam desenvolver o alcoolismo, de acordo com um novo estudo da Universidade de Binghamton.

Um grupo de investigação liderada por Nicole Cameron, professor assistente de psicologia na Universidade de Binghamton, foi o primeiro a investigar os efeitos do consumo de álcool durante a gestação sobre o comportamento relacionado ao álcool (consumo e sensibilidade para o efeito do álcool) sobre as gerações que não foram expostos diretamente ao álcool no útero durante a gravidez.

Ratas grávidas receberam o equivalente a um copo de vinho, quatro dias seguidos, nos dias de gestação 17-20, o equivalente ao segundo trimestre em humanos. jovens machos e fêmeas foram então testados para a água (controle) e álcool. Os resultados sugerem que se uma mãe ingere álcool durante a gravidez, mesmo que apenas em pequenas quantidades, ela aumenta o risco de que sua descendência se tornar alcoólatra.

“Nossos resultados mostram que no rato, quando a mãe consome o equivalente a um copo de vinho quatro vezes durante a gravidez, sua prole e as gerações seguintes, até a terceira geração, mostram aumento da preferência e menor sensibilidade ao álcool,” disse Cameron. “Assim, os descendentes são mais propensos a desenvolver alcoolismo. Este trabalho é o primeiro a demonstrar efeitos trans-geracional do consumo de álcool durante a gestação sobre o comportamento relacionado ao álcool na prole.”

“Agora precisamos identificar como este efeito é passado por várias gerações, investigando como álcool exerce efeitos sobre o Genoma Humano e epigenoma (moléculas que controlam a tradução gene)”, disse Cameron.

Esta pesquisa foi realizada em colaboração com Michael Nizhnikov da Universidade do Sul Connecticut.

Fonte: Alcoholism: Clinical and Experimental Research