Adolescentes com diabetes tipo 2 apresentam mudanças cerebrais

0 44

Os adolescentes com diabetes tipo 2 apresentam mudanças significativas no volume de massa cinzenta total do cérebro. Regiões essas que estão envolvidas na visão, na audição, memória, emoções, expressão, tomada de decisão, e auto-controle.

Pesquisadores do “Cincinnati Medical Center Hospital” descobriram que adolescentes com diabetes tipo 2 têm seis regiões do cérebro com menos massa cinzenta, e três com mais. Eles encontraram uma relação entre menor volume de massa cinzenta no cérebro e a habilidade de pronunciar/falar palavras desconhecidas.

“Estudos anteriores sugeriram que jovens com diabetes tipo 2 têm mudanças na estrutura do cérebro. Assim como a função cognitiva mais é mais pobres em comparação com os seus pares”. Disse Amy Sanghavi Shah, MD, um médico-cientista na divisão de Endocrinologia de crianças de Cincinnati e autor sênior do estudo. ” Volume total e parcial cerebral não tinham sido avaliados de forma abrangente até agora. Nós também procuramos determinar se os resultados que encontramos aqui poderia explicar as pontuações cognitivas mais pobres.”

adolescentes com diabetesOs pesquisadores estudaram 20 adolescentes com diabetes tipo 2 e compararam com 20 adolescentes sem a doença. Eles eram semelhantes em idade, raça e sexo. Todos os participantes do estudo passaram por ressonância magnética de alta resolução. Nenhum grupo teve doença neurológica ou psicológica prévia ou ressonâncias magnéticas anormais anteriores.

“Nossos resultados não mostram causa e efeito”, diz Dr. Redel. “Não sabemos se as alterações que encontramos são o resultado direto do diabetes. Mas estudos em adultos com diabetes tipo 2, com maior duração da doença, também mostram diferenças de volume do cérebro, alterações vasculares cerebral e declínio cognitivo. No entanto, nossos resultados sugerem que prevenção da diabetes tipo 2 em adolescentes é importante para evitar possíveis complicações no futuro”.

Mais estudos são necessários

Os investigadores estão considerando um outro estudo a adição de participantes que são obesos sem diabetes tipo 2 e um número maior de participantes. Isto permitir-lhes examinar se as diferenças encontradas na ressonância magnética estão mais relacionadas à obesidade ou açúcar elevado no sangue. É preciso testar se outros domínios cognitivos, como memória, linguagem, inteligência e atenção, são afetados por diferenças de volume do cérebro.

Leia mais

Fonte: Cincinnati Children’s Hospital Medical Center

Comentários

Loading...