Mito sobre açúcar acaba de cair – Confira a pesquisa!

0 555

Se você comeu um saco de doces e bebeu uma lata de refrigerante, você pode esperar uma mudança de humor, seguida por uma sensação de energia.

Na realidade, o que acontece é exatamente o oposto, de acordo com um novo estudo.

Os cientistas da pesquisa, publicada na revista Neuroscience & Biobehavioral Reviews, analisaram dezenas de estudos sobre o consumo de açúcar e seus efeitos sobre o humor das pessoas. Eles descobriram que o açúcar não melhora nenhum aspecto do humor e, na verdade, pode deixá-lo triste.

“A ideia de que o açúcar pode melhorar o humor tem sido muito influente na cultura popular, tanto que pessoas de todo o mundo consomem bebidas açucaradas para se tornarem mais alertas ou combaterem a fadiga”, disse o principal autor do estudo, Dr. Konstantinos Mantantzis, da Universidade Humboldt de Berlim.

“Nossos resultados indicam claramente que tais alegações não são substanciadas – se é que alguma coisa, o açúcar provavelmente fará você se sentir pior”, acrescentou Dr. Mantantzis em um comunicado.

A meta-análise revisou 31 estudos diferentes, respondendo por mais de 1.250 participantes, que investigaram os efeitos dos carboidratos solúveis, incluindo açúcares e amidos, em vários aspectos do humor, incluindo raiva, estado de alerta, depressão e fadiga.

Dentro de apenas meia hora depois de comer açúcar, a maioria das pessoas começou a sentir cansaço e fadiga, comparadas àquelas que tomaram placebo. Uma hora após o açúcar, a maioria das pessoas começa a sentir o estado de alerta reduzido.

Parece que qualquer estímulo neurológico que é estimulado no sistema de recompensa do nosso cérebro depois que comemos açúcar é muito curto e não resulta em nenhum nível substancial de satisfação aumentada ou sensação de bem-estar.

Não é apenas a ideia de que o açúcar melhora o humor e dá energia um mito, os pesquisadores argumentam, também poderia ser um fator no aumento da obesidade e diabetes.

“Esperamos que nossas descobertas ajudem a dissipar esse mito do açúcar e informem as políticas públicas de saúde para diminuir o consumo de açúcar”, comentou a co-autora professora Dra. Elizabeth Maylor, da Universidade de Warwick.

Dr. Sandra Sünram-Lea acrescentou: “O aumento da obesidade, diabetes e síndrome metabólica nos últimos anos destaca a necessidade de estratégias dietéticas baseadas em evidências para promover um estilo de vida saudável em toda a vida. Nossas descobertas indicam que bebidas ou lanches açucarados não fornecem um “reabastecimento de combustível” rápido para nos deixar mais alertas. “

Leia mais

Fonte: IFLS

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More