Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

13 reasons why, da Netflix, pode ter causado aumento de suicídios, diz pesquisa

0 248

No final da temporada de uma das séries mais populares da Netflix, “13 reasons why”, a estudante de 17 anos Hannah Baker se mata em uma cena prolongada de três minutos.

Mesmo que a história inteira, muito disto através de flashbacks, tenha levado a esse momento, e os telespectadores já sabem que Hannah está morta, a sequência gráfica é um tormento a ser observado.

Nova pesquisa sugere que a série – talvez essa cena – poderia ter desencadeado pensamentos suicidas em seus espectadores, muitos dos quais são jovens.

A série de 13 episódios, que foi lançada de uma só vez, narra 13 fitas que Hannah envia para quem ela culpa por suas ações.

A série capturou a imaginação de crianças em muitos países. Em abril, estabeleceu um recorde para a série mais twittada em 2017, quando foi mencionado mais de 11 milhões de vezes dentro de três semanas do lançamento de 31 de março.

Agora, um estudo publicado na JAMA Internal Medicine descobriu que, nas mesmas três semanas, pesquisas na internet sobre suicídio foram significativamente maiores do que o esperado.

“Nossas análises sugerem que “13 reasons why”, em sua forma atual, aumentou a consciência suicida enquanto aumentava a ideia suicida sem querer”, escreveram os autores.

“As consultas mais elevadas centraram-se na ideia suicida. Por exemplo, ‘como suicidar-se’, ‘cometer suicídio’ e “como matar-se’ foram significativamente maiores”.

“No geral, as consultas on-line sobre suicídio foram 19 por cento maiores nos 19 dias após a liberação da série, refletindo 900 mil a 1,5 milhões de buscas mais do que o esperado”, informou o jornal.

Trailler da Série:

Leia mais

Dr. John Ayers, professor de saúde pública na Universidade Estadual de San Diego, decidiu analisar o impacto do show depois que provocou um debate animado entre seus criadores e profissionais de saúde mental e educadores sobre sua influência potencialmente prejudicial sobre as crianças.

Seu objetivo era usar dados quase em tempo real para avaliar qualquer dano rapidamente.

“Estudos anteriores validaram que pesquisas na Internet espelham as taxas de suicídio no mundo real, então as taxas de suicídio provavelmente aumentaram como resultado desse programa”, disse Dr. Ayers.

“Para mim, como um cientista de saúde pública orientado a dados, vejo esses dados preocupantes como um forte apelo à ação. O show deve ser retirado”.

Netflix respondeu em uma declaração: “Nós sempre acreditamos que este show aumentaria a discussão em torno deste assunto difícil. Este é um interessante estudo quase experimental que confirma isso. Estamos ansiosos por mais pesquisas e levando tudo o que aprendemos ao coração à medida que preparamos a temporada 2. ”

Mais informações: cleveland.com