O Permafrost está descongelando e isso não é bom para nós – Entenda!

0 261

Uma combinação de derretimento rápido do permafrost e falta de absorção de carbono está transformando partes do Ártico em emissário de CO2, diz um novo relatório.

Um estudo realizado por 75 cientistas em 12 países e publicado na Nature Climate Change descobriu que os níveis de carbono liberados pelo permafrost em derretimento são duas vezes mais altos do que se pensava anteriormente e estão superando a capacidade das plantas de tundra de absorvê-lo.

Mais de 100 sensores em vários locais do Ártico mostram que o permafrost está liberando 1,7 bilhão de toneladas de carbono na atmosfera, enquanto as plantas do Ártico estão absorvendo apenas 1 bilhão de toneladas.

Esta é a primeira prova de que o derretimento do permafrost agora é um contribuinte líquido para as emissões de gases de efeito estufa e um indicador de condições cada vez mais adversas na região.

“Há uma perda líquida”, disse à CBC Jocelyn Egan, da Dalhousie University, uma das 75 co-autoras de um artigo publicado na revista Nature Climate Change.

“Em um determinado ano, mais carbono está sendo perdido do que o que está sendo absorvido. Já está acontecendo.”

O estudo internacional realinha o pensamento científico popular sobre o derretimento do permafrost no Ártico, que postulava que as plantas do Ártico mitigavam principalmente o carbono emitido durante o inverno, quando floresceram no verão.

Não são apenas as plantas que não absorvem carbono suficiente, mas, segundo os cientistas, é provável que o ritmo das emissões aumente.

As projeções mostram que, se as emissões globais permanecerem estáticas, o derretimento do permafrost, que há muito mantém o solo rico em carbono, pode liberar 41% mais carbono até o final da década.

A maioria das projeções mostra que o mundo não conseguiu atingir os parâmetros de referência para conter as emissões descritas em acordos como o Acordo de Paris.

No início deste verão, cerca de 90% da superfície do manto de gelo da Groenlândia derreteu entre 30 de julho e 2 de agosto, período em que um número estimado de 55 bilhões de toneladas de gelo derramou da ilha e do oceano, segundo o Centro Nacional de Dados de Neve e Gelo.

Leia mais

O que é Permafrost?

O permafrost é uma camada permanentemente congelada abaixo da superfície da Terra, encontrada em regiões do Ártico, como Alasca, Sibéria e Canadá.

Normalmente, consiste de solo, cascalho e areia unidos pelo gelo e é classificado como solo que permanece abaixo de 0 °C.

Estima-se que 1.500 bilhões de toneladas de carbono sejam armazenadas no permafrost – mais que o dobro da quantidade encontrada na atmosfera.

Fonte: Daily Mail

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More